Venezuela a ferro e fogo

Por muito grande que seja a capacidade de mobilização da oposição, o destino de Maduro e da deriva autoritária do seu Governo passa pela correlação entre as forças que convivem no interior do chavismo.

A consulta popular celebrada no fim-de-semana passado na Venezuela demonstrou de forma cabal que o país ultrapassou a fase do confronto institucional e caminha para a duplicação de instituições. Este parece ser o destino final de um percurso de ruptura do regime que teve início com as últimas eleições legislativas.

Em Dezembro de 2015, a maioria dos eleitores venezuelanos escolheu uma Assembleia Nacional maioritariamente composta por deputados da oposição. A partir desse momento, o Governo liderado por Nicolás Maduro, em coordenação com o Supremo Tribunal de Justiça, desencadeou um processo de esvaziamento do poder legislativo que culminou com a convocação de eleições para uma assembleia constituinte paralela que contraria os princípios democráticos e a constituição do país.

O actual quadro político venezuelano evidencia que a oposição ao chavismo deixou de ser constituída, como nos tempos de Hugo Chávez, pelos sectores mais à direita do país e pelos grandes empresários (como na tentativa de golpe de Estado de 2002), para se transformar num grupo heterogéneo, com penetração na sociedade e capacidade de mobilizar os desiludidos com o regime. A conjugação da queda dos preços do petróleo (principal fonte de receitas do país) com o fim de governos ideologicamente alinhados na região colocou Maduro sob uma pressão com a qual Chávez nunca conviveu. A ausência da liderança carismática e da legitimidade do fundador do regime, e a consequente necessidade de manter alguma coesão entre a classe dirigente, fizeram o resto.

Leia o artigo completo no site do jornal ECO.

Photo by María Alejandra Mora / CC BY-SA 2.0

CC BY-NC-SA 4.0 This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Filipe Vasconcelos Romão

Associate Researcher at CEI-IUL. PhD in IR (Univ. Coimbra). Advanced Studies Diploma in International Politics and Conflict Resolution (Univ. Coimbra). Guest Professor at ISCTE-IUL. Professor at UAL. President of the Portugal – South Atlantic Commerce Chamber.

Leave a Reply